O Cronograma Capilar, originário do Brasil, é uma rotina de tratamento capilar, que contempla a utilização de 3 tipos de máscaras, numa ordem cronológica específica.

A promessa do Cronograma Capilar é devolver aos fios tudo aquilo que eles perdem, quer por ação natural (exposição ao sol, vento, água do mar, entre outros fatores), quer por ação humana (química, utilização de fontes de calor, entre outros).

Antes de entrarmos no mundo do Cronograma Capilar, necessitamos de entender que a forma como lavamos o cabelo é um dos principais fatores para termos um cabelo saudável, ou seja:

champô é o primeiro produto a ser utilizado e serve apenas para lavar o couro cabeludo, logo, quando indecisos sobre o tipo de champô a adquirir, vejam se têm cabelo oleoso, caspa, couro cabeludo seco, queda etc. e escolham o vosso champô tendo sempre estes factores em conta. Há que entender que o fio de cabelo não produz oleosidade, apenas o couro cabeludo, daí o champô apenas se colocar no couro cabeludo. A quantidade que escorre pelo fio é suficiente para lavar o fio, e não é conveniente esfregar, dado que o pH alcalino da maioria dos champôs, que serve para abrir e limpar a cutícula do fio, esfregar vai danificar o cabelo e abrir pontas “espigadas”. É deste péssimo hábito que resulta aquilo que mais lemos no grupo: “Cabelo oleoso com pontas secas”. 

De seguinda é colocada a máscara. Esta é colocada sob o cabelo, sem tocar na raíz e por todo o comprimento. Há que ter cuidado para não colocar sobre o cabelo enxarcado de água, dado que a água atua como barreira e a máscara não penetra tão bem no fio de cabelo. A máscara deve atuar apenas o tempo indicado na embalagem, correndo o risco de danificar o fio de cabelo caso seja utilizada durante mais tempo que o recomendado. Para melhores resultados, devemos enluvar os fios, passando os dedos pelos mesmos várias vezes.

Após atuação da máscara, exaguamos, retiramos novamente o excesso de água e aplicamos o condicionador também apenas no comprimento, atuando por 1min e enxaguando de seguida.

Por fim, ao secar o cabelo, retirar o excesso de água com uma toalha de microfibra ou t-shirt de algodão (reduz drásticamente o frizz), secar ao natural ou aplicar protetor de calor e secar com secador.

NOTA: Parece algo que demora muito tempo, mas é uma questão de nos organizarmos. Por exemplo, lavar o cabelo fora do banho e colocar a máscara com uma mola/touca e ir fazer outra coisa (trabalhar, ver uma série, fazer uma refeição, estar com a família, qualquer que seja a vossa rotina) e no final do tempo da máscara entrar no banho para lavar o corpo e colocar condidionador. Ou fazer o contrário. tomar banho lavar com champô e colocar a máscara, ir à vossa rotina e no fim, enxaguar só o cabelo e passsar condicionador.

Para a etapa em que utilizamos a máscara é que entra o cronograma capilar.

Este consiste na utilização dos 3 tipos de máscaras, numa ordem temporal específica, é imperativa.

Mas então, porquê os 3 tipos de máscaras? E qual o objetivo de cada um?

Em relação à primeira questão, da mesma forma que a nossa alimentação deve ser variada, e regrada, para que o nosso corpo se mantenha saudável, o nosso cabelo também necessita de receber diferentes ingredientes de forma controlada para manter a sua integridade. O ser humano não sobrevive se ingerir apenas água, ou apenas comida, o nosso cabelo é exatamente igual.

E se te estás a perguntar como é feita a classificação das máscaras, a resposta é bem simples: através dos ingredientes presentes nos rótulos das máscaras. Para melhor compreender a função de cada máscara é imprescindível aceitar o papel que a Química representa, e analisar todos os ingredientes de uma máscara como um todo.

Então, a etapa de Hidratação tem a finalidade de repor a humidade perdida nos fios. As máscaras desta etapa caracterizam-se pela abundância de ingredientes tais como: extratos de plantas e frutas, mel, leite, proteína de seda e glicerina.

A etapa da Nutrição age na reposição de lípidos nos fios. Os ingredientes que caraterizam esta fase são os óleos e as manteigas.

Por fim, a Reconstrução enfatiza a reposição de massa capilar. A reposição é feita através de ingredientes como a queratina (animal ou vegetal), as proteínas e os aminoácidos.

Torna-se, então, muito importante a existência de um equilíbrio na forma como estes ingredientes são dados ao cabelo, atendendo sempre às necessidades do mesmo. É, por isso, que o Cronograma Capilar é tão importante, pois permite-nos manter o nosso cabelo saudável, sem nunca esquecer não só o papel que a Química por trás dos ingredientes representa, mas também as necessidades que os nossos fios possuem.

 

Para quem quiser iniciar o cronograma capilar, necessita apenas dos produtos à esquerda (para quem está no PC, ou em cima para quem está no telemóvel/tablet)..

Não é necessário apostar em produtos caros, é necessário que o nosso cabelo goste. Muitas vezes, as receitas caseiras fazem maravilhas no nosso cabelo, mas é a experimentar que vamos saber quais são os produtos que melhor se adequam a nós.

Como realizar o Cronograma Capilar?

Deves então seguir o esquema de Cronograma mais adequado às necessidades do teu cabelo, e aplicar a máscara na ordem imposta no mesmo. O Cronograma deve ser sempre adaptado às lavagens que realizas semanalmente, desde que estas não sejam feitas com um intervalo inferior a 48h (se lavas o cabelo todos os dias, lembra-te que só deves colocar máscara dia sim, dia não, nas outras lavagens usa apenas shampoo e condicionador).

 

 

Queres saber qual o esquema mais adequado para ti?
Escolhe em baixo consoante as lavagens que efectuas por semana.

 

Caso queiras optar por receitas caseiras, podes consultar aqui as nossas.

Damos-te uma ideia dos produtos que tens em casa e que poes usar para juntar a uma máscara de hidratação já existente e potencializar ou transformar numa de outra fase:

eixamos-te com um pequeníssimo resumo com um apanhado de tudo o que foi dito anteriormente e que tens que te mentalizar 😆

Ingredientes

Ao longo deste percurso, foram chamados a atenção alguns ingredientes utilizados nos produtos capilares.

Queremos desde já explicar que não iremos alimentar alarmismos, no entanto iremos expôr as experiências e alguns cuidados que se devem ter com alguns produtos.

SODIUM CHLORIDE – Cloreto de Sódio, também conhecido com o sal comum, utilizado em cozinhas. É um espessante barato utilizado na indústria, também responsável por grande parte da produção de espuma nos champôs. Pode deixar o couo cabeludo ressequido, mas que influencia mais no nosso cabelo não está diretamnte associado ao sal, mas aos químicos adicionados ao champô para disfarçar o cheiro após adição de sal. Há membros que retiraram produtos com este componente em grande concentração os champôs (os ingredientes são colocados nos produtos por ordem de concentração e geralmente é o segundo ou terceiro na lista) e notaram grandes diferenças, da mesma forma que há quem tenha feito a mudança e não se tenha dado bem. Associar o sal nos champôs ao alisamento não faz muito sentido, e pior aínda confundir sal com sulfatos.

SODIUM HYDROXIDE – Hidróxido de Sódio. É muito utilizado na indústria como regulador de pH, logo, está presente em grande parte dos cosméticos. Dependendo da sua concentração (nunca conseguimos precisar a concentração, apenas a ordem de concentração dos ingredientes), pode influenciar cabelos que tenham descolorações/tinta/alisamentos, ao reagirem com ingredientes presentes nos compostos das químicas capilares. Ou seja, há relatos de cortes químicos por usar produtos com grande quantidade de hidróxido de sódio, mas não quer dizer que todos os produtos que contenha hidróxido de sódio provoquem corte químico., daí alertarmos para a presença do ingrediente, mas não fazermos nenhum alarmismo sobre a proibição de o usar.